ENTREVISTA

Acadêmicos

Cartão Postal: o imaginário turístico sobre uma cidade

Um dos impactos mais notáveis da fotografia foi ter permitido a massificação tanto do consumo quanto da produção de imagens. Por isso, mesmo que nosso foco recaia sobre uma arte fotográfica mais erudita, é impossível entender a afirmação histórica dessa técnica sem considerar sua dimensão mais utilitária e corriqueira. Seguindo nessa direção, encontramos duas pesquisas bastante distintas que se debruçam sobre uma mesma experiência fotográfica, hoje um tanto marginal: o cartão postal. Vamos apresentá-las numa sequência de dois posts.

Ao abordar um conjunto recente de cartões postais de Buenos Aires voltados para o consumo de estrangeiros, a pesquisa de Vilma Santillán permite aproximar o tema deste Fórum – “fora de casa” – desse viés popular da produção fotográfica. Difícil imaginar uma situação mais evidente em que uma fotografia de cunho documental se revela encenada segundo um imaginário, neste caso, aquele do turista.

A pesquisa parte de um conjunto de 61 postais disponíveis em 2007, cobrindo temas como paisagem, cultura (essencialmente o tango), objetos e retratos de personalidades. Com um recorte metodológico bastante claro, a pesquisa observa aspectos formais e semânticos das imagens, e não ignora o papel dos títulos e descrições textuais que as acompanham. É particularmente interessante o modo como a autora detecta e analisa algumas estratégias adotadas pelo “discurso” dos cartões postais: fragmentação, tematização, encenação, romantização e estereotipação. No final das contas, o mais surpreendente é verificar que o exotismo não é apenas um atributo do olhar desejante do outro, mas também da imagem que oferecemos de nós mesmos para alimentar esse desejo.

“Sobre la base de un referente real conformado por el espacio físico que ocupa el destino, su población, más las características ambientales, económicas y socioculturales que se establecen, se articula todo un imaginario que idealiza el aspecto más ‘exportable’ del destino, difuminándose el referente real, el cual es remplazado por un referente turístico: ‘la imagen turística’. De esta manera, la imagen del destino no es una imagen espontánea, sino una imagen socialmente inducida y reproducida, que contiene los deseos y expectativas construidos a priori del viaje, merced a prácticas sociales no turísticas, que crean imágenes estereotipadas del destino que una vez en éste, el turista espera verificar”

**

La fotografia como creadora da imagen de un destino turístico. Buenos Aires a través de sus tarjetas postales

Autor: Vilma Leonora Santillán

Universidad del Museo Social Argentino – Licenciatura en Turismo Cultural – Argentina

Publicado na Revista Pasos – Revista de Turismo y Patrimonio Cultural. V. 8, n. 1, 2010

PDF do trabalho: http://www.pasosonline.org/Publicados/8110/PS0110_6.pdf

Uma Resposta to “Cartão Postal: o imaginário turístico sobre uma cidade”